Sabe qual é a nossa diferença? Eu sei exatamente o que eu quero, e você não tem nem ideia. Eu optei por não levar nada a sério além de mim mesma, de não esperar demais e de não ter que definir sentimento nem relação nenhuma imediatamente. Escolhi me afastar de coisa antiga, eu quero novidade, quero crescer com isso. Não quis apagar nada, nem os sinais evidentes de que eu sentia falta eu fiz questão de esconder. Também não to com medo de apaixonar de novo, o que eu passei só me fez perceber que quem anda comigo nem sempre é meu amigo, de ver que não dá pra confiar em todo mundo, e que se entregar a uma pessoa por inteiro tem lá suas conseqüências. To afim de não pensar demais pra falar nem agir, quero pensar em mim primeiro e isso não quer dizer que eu vou passar em cima de alguém com interesses próprios. Não to afim de dar o troco em ninguém, não vejo necessidade mais disso e o desejo de vingança definitivamente não subiu a minha cabeça apenas por pensar que tudo que vai volta, e que a vida vai dar uma lição muito maior do que a que eu posso planejar. To dando mais valor pra quem se importa de verdade, to me importando menos com ofensas e dando mais ouvidos a críticas construtivas. To me vendo mais como pessoa do que como nós, to me sentindo mais livre, mais capaz. Percebi que sofrer por amor é passageiro e que cultivar raiva dentro de mim só me fazia ficar cada vez pior. Quero sofrer por algo que valha a pena, por coisas importantes de verdade. Eu amadureci. Aprendi uma lição, “antes de viver por alguém, viva por você mesma”.

Sabe qual é a nossa diferença? Eu sei exatamente o que eu quero, e você não tem nem ideia. Eu optei por não levar nada a sério além de mim mesma, de não esperar demais e de não ter que definir sentimento nem relação nenhuma imediatamente. Escolhi me afastar de coisa antiga, eu quero novidade, quero crescer com isso. Não quis apagar nada, nem os sinais evidentes de que eu sentia falta eu fiz questão de esconder. Também não to com medo de apaixonar de novo, o que eu passei só me fez perceber que quem anda comigo nem sempre é meu amigo, de ver que não dá pra confiar em todo mundo, e que se entregar a uma pessoa por inteiro tem lá suas conseqüências. To afim de não pensar demais pra falar nem agir, quero pensar em mim primeiro e isso não quer dizer que eu vou passar em cima de alguém com interesses próprios. Não to afim de dar o troco em ninguém, não vejo necessidade mais disso e o desejo de vingança definitivamente não subiu a minha cabeça apenas por pensar que tudo que vai volta, e que a vida vai dar uma lição muito maior do que a que eu posso planejar. To dando mais valor pra quem se importa de verdade, to me importando menos com ofensas e dando mais ouvidos a críticas construtivas. To me vendo mais como pessoa do que como nós, to me sentindo mais livre, mais capaz. Percebi que sofrer por amor é passageiro e que cultivar raiva dentro de mim só me fazia ficar cada vez pior. Quero sofrer por algo que valha a pena, por coisas importantes de verdade. Eu amadureci. Aprendi uma lição, “antes de viver por alguém, viva por você mesma”.